25 novembro 2020

Marcas Nominativas: FIGUEIRÓ



CE 13 - tipo VI



Carta datada de 15 de julho de 1864, lançada na estação de Figueiró dos Vinhos e endereçada para Cantanhede, apresenta a particularidade de ter sido marcada na origem com a marca nominativa FIGUEIRÓ batida em albino. Figueiró dos Vinhos foi uma das Direcções de Correio da Administração Central de Santarém na 1ª e da Administração Central de Coimbra na 2ª Reforma Postal. Na 3ª Reforma Postal passou a Estação de Correio de 4ª classe e a de 5ª classe em 1883. Permutava malas com a Repartição Postal Ambulante do Norte - Tomar.



Bibliografia:
PEREIRA, Pedro Marçal Vaz (2005) Os Correios Portugueses entre 1853-1900, Carimbos Nominativos e Dados Postais e Etimológicos, Vol. I. Madrid: FAFF 

24 novembro 2020

Marcas Nominativas: MIRANDA



CE 6





Miranda do Douro foi uma das Direcções de Correio da Administração Central de Vila Real na 1ª e 2ª Reformas Postais. Na 3ª Reforma Postal passou a Estação de Correio de 4ª classe, provida de serviço de telegrafia, passando a 5ª classe em 1883. Permutava malas com a Repartição Postal Ambulante do Douro - Bragança.





14 novembro 2020

Bibliografia Filatélica (31)





Título: Instrumentos de Trabalho - Variedades e Erros de Impressão
Autor: Carlos Maia
Editor: Edição do Autor
Local/Ano: Vila Real. 2020
Páginas/Formato: 152. 148x210 mm
Língua: Português
ISBN: s/n



20 outubro 2020

Marcas Estrangeiras sobre Selos Postais Portugueses (13)



Lisboa -> Washington (19.09.1942) -> Livingston MT / EUA



Carta remetida por Williams E. Stewart, adido (Office Military Attaché) na Legação Americana em Lisboa - a Legação foi elevada a Embaixada apenas em Junho de 1944 - encaminhada para os EUA por via aérea em mala diplomática (vd. anotação manuscrita Pouch), sendo sujeita a controle postal pelas autoridades militares americanas. 
Verifica-se, uma vez mais, a insuficiência de franquia neste tipo de correspondência particular (o porte mínimo seria de 5$25) reforçando a hipótese da não aplicação da sobretaxa do correio aéreo.
 
Post relacionado: link


cinta e marca de censura  





19 outubro 2020

Carta "Postal Secreto" (2)

 

CE 211 - papel pontinhado vertical - denteado 15x14



Este fragmento de "Carta Postal Secreto" não encaixa nas características definidas por David Lopes Cohen. Diverge na impressão do remetente na face e no papel que é fino e sem fios de seda na sua textura.
Apesar da real raridade destes objectos postais, temos conhecimento da existência de uma 332ª série. Haverá, pois, muito trabalho de estudo por fazer para melhor caracterizar este tipo de objecto postal.


   

07 outubro 2020

Carta "Postal Secreto" (1)

 

Coimbra (23.04.1915) -> Nespereira / Castelo de Paiva (24.04)
CE 211 - papel esmalte - denteado 15x14
72.ª SERIE

 

"CARTA POSTAL SECRETO"

Patenteada (registo nº 9.541) pela empresa da "Carta Postal Secreto" de Lisboa, é formada por uma folha com 227 x 287 mm, que dobrada duas vezes em cada sentido fica com 133 x 98 mm. É fechada por uma aba com o bordo gomado. No interior tem anúncios impressos numa ou mais cores e um espaço com 34 a 39 linhas de pontos, com 125 mm para a correspondência. Foram produzidas várias séries em papel espesso creme com a face exterior tinta a amarelo, papel espesso rosado com fios de seda vermelhos na face exterior e creme no verso e papel espesso creme com fios de seda verdes na face exterior. Era vendida ao público por 1 ctv com um selo adesivo de 2 1/2 ctvs, perfurado com 3 estrelas de cinco pontas dispostas em triângulo. Autorização para perfurar os selos e utilizá-los nestas Cartas foi concedida à Firma Martins, Morais & Cª Lda., proprietária da "Carta Postal Secreto", por despacho de 21.10.1915 do Administrador Geral dos correios e Telégrafos.


David Lopes Cohen

 perfuração




Bibliografia:
BARROSO, Luis Armando (2015). "Catálogo das Perfurações Postais Portuguesas". Lisboa: Clube Filatélico de Portugal.
Webgrafia:
FurosPT. https://furospt.blogspot.com [Outubro 2020]



22 setembro 2020

Agentes Encaminhadores (1)

 

Lisboa (04.12.1872) -> Londres (09.12) -> [forwarding: B.F.STEVENS (09.12)]


Sobrescrito circulado de Lisboa para Inglaterra, franquiado com selo de 120 réis (CE 44) para pagamento do envio de uma carta de porte simples encaminhada por via terrestre (até 7,5g), conforme a tabela de portes dimanada da convenção celebrada em 6 e 28.6.1866 com o Reino da Grã-Bretanha e Irlanda, aplicada a partir de 1.8.1866.


Fontes: Portaria de 30.6.1866; Diario de Lisboa nºs 149 e 156, de 6 e 14.7.1866, respectivamente.



Correspondência destinada a Arthur Burtis, tesoureiro a bordo da chalupa canhoneira "USS Brooklyn" da US Navy, endereçada ao cuidado de Benjamin Franklin Stevens, "Despatch Agent" em Londres nomeado pelo governo americano e a anuência dos correios (USPOD). Nessa função de agente encaminhador (1866-1902) foi responsável pelo manuseamento de malas diplomáticas e da entrega e reencaminhamento de objectos postais para cidadãos americanos em viagem pelo estrangeiro, na sua esmagadora maioria funcionários do Departamento de Estado e da Marinha dos EUA.



17 setembro 2020

Correio Aéreo (8)



03.02.1951
Sobrescrito timbrado (ITALIA - Società di Navigazioni) circulado por via aérea de Lisboa para Nova Iorque (EUA).



Porte (4$30)
1° porte do serviço internacional (até 20g): 2$30
sobretaxa do C.Aéreo (cada 5g ou fracção): 2$00

Franquia
$10 - CE 618 (x43) - Caravela


 

16 setembro 2020

Marcas de Telegrafia: VILAR FORMOZO



CE 40 - papel porcelana - dent. 13½ 


CE 51 - papel porcelana - dent. 13½



Vilar Formoso foi criada na 3ª Reforma Postal, como Estação de Correio de 4ª classe, provida de serviço de telegrafia. Permutava malas com a Repartição Postal Ambulante da Beira Alta.



Bibliografia:
PEREIRA, Pedro Marçal Vaz (2005) Os Correios Portugueses entre 1853-1900, Carimbos Nominativos e Dados Postais e Etimológicos, Vol. II. Madrid: FAFF


15 setembro 2020

Marcas de Telegrafia: TONDELLA



CE 66 - papel porcelana - dent. 1 




Tondela foi uma das Direcções de Correio da Administração Central de Coimbra  na 1ª Reforma Postal passando para a Administração Central de Viseu na 2ª Reforma. Na 3ª Reforma Postal passou a Estação de Correio de 3ª classe, provida de serviço de telegrafia. Permutava malas com a Repartição Postal Ambulante da Beira Alta e com Santa Comba Dão.


Bibliografia:
PEREIRA, Pedro Marçal Vaz (2005) Os Correios Portugueses entre 1853-1900, Carimbos Nominativos e Dados Postais e Etimológicos, Vol. II. Madrid: FAFF