02 junho 2010

Erros, Clandestinos ou Provas?


valores faciais deslocados
porte (75 réis): 25 réis - 1° escalão de peso (20g) + 50 réis - prémio de registo
franquia: CE n° 140 (tira de 3 + par)


O catálogo especializado de Portugal/Açores/Madeira, em nota de rodapé, informa:
 
"ERROS: Admite-se que os selos com valores omitidos, invertidos e com dupla impressão de valor tenham sido clandestinamente emitidos."

No mesmo lote, eu incluiria também as deslocações.

Na sua obra Provas e Ensaios do Período Monárquico, o Dr. Claudino Pereira classifica todas estas variedades como provas. Eis uma tira de selos com as mesmas características:

 
(imagem retirada da obra atrás referida)

Face à diversidade e quantidades existentes, inclino-me para a hipótese alvitrada no catálogo. Eventualmente, refugo indevidamente subtraído da Casa da Moeda...

Há, porém, sinais que indiciam uma peça filatélica: primeiro, estranho a não indicação do remetente num objecto postal registado; depois, fico com a nítida sensação de que as obliterações foram cuidadosamente batidas de modo a não prejudicarem a visualização da variedade; finalmente, que o destinatário/endereço e a "etiqueta de registo" tenham sido manuscritas pelo mesmo punho.
Não obstante o cunho filatélico, e não havendo provas que coloquem em causa a circulação postal da peça, considero-a interessante no âmbito de uma colecção especializada. Apesar de relativamente fáceis de obter no mercado filatélico, estas variedades são menos comuns em blocos e raríssimas sobre suporte circulado.



3 comentários:

Giorgio Micali disse...

Os selos com estas deslocações (se a quantidade existente exclui tratar-se de um erro original) poderiam vir de folhas imprimidas ao arranque da máquina, até o operador efectuar as operações de registo necessárias. Seriam portanto refugos subtraídos da Casa da Moeda. Se foram subtraídos quando tinham ainda validade postal, creio que os selos não podiam ser recusados para franquear cartas ... apesar de serem um pouco esquisitos.

oups disse...

Giorgio, em Portugal Continental, foram emitidas duas séries D.Carlos I (Mouchon). Ver páginas 28 e 29 do Álbum I (1853/1910), de Karlos Kullberg.
http://www.caleida.pt/filatelia/fp/ebook/bfd003_p.pdf
Indispensável para a análise e discussão é, também, conhecermos os períodos de circulação, composição das folhas, etc. (imagens com excertos do catálogo especializado Afinsa e do volume I da obra de Oliveira Marques):
http://img269.imageshack.us/img269/2241/dc8z.jpg
http://img707.imageshack.us/img707/8691/dc88.jpg
Do cruzamento dos dados, poderemos ser levados a concluir que o deslocamento das taxas nos selos da peça em apreço seja uma variedade genuína. Em 1904 o selo ainda tinha validade postal, sendo difícil extravios da CM, mesmo sendo material de refugo.
Por outro lado, existem outros elementos que baralham as minhas ideias e que me empurram para outras leituras:
1. A quantidade existente com estas variedades, a meu ver, afastam a hipótese de PROVAS; por norma, este tipo de material é escasso e aparece no mercado em data posterior ao período de validade postal.
2. Não sei se será correcta a info do catálogo no que diz respeito à composição das folhas; teriam sido impressas folhas de 28 selos? Ou estas resultavam do corte das folhas de 112 selos, em 4 painéis?
3. Compreenderia perfeitamente que existência de folhas com erros/variedades resultantes de ensaios de ajustamento na impressão dos valores; já me custa a encaixar que esses erros apareçam em selos da segunda emissão.
.../...

oups disse...

Retirados dos leilões do CFP, seguem alguns destes erros para apreciação:

http://www.cfportugal.com/21%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%28831%20a%20960%29/slides/21Lis_0833.html

http://www.cfportugal.com/21%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%28831%20a%20960%29/slides/21Lis_0834.html

http://www.cfportugal.com/21%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%28831%20a%20960%29/slides/21Lis_0835.html

http://www.cfportugal.com/22%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%281026%20a%201165%29/slides/22Lis_1030.html

http://www.cfportugal.com/22%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%281026%20a%201165%29/slides/22Lis_1031.html

http://www.cfportugal.com/22%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%281026%20a%201165%29/slides/22Lis_1034.html

http://www.cfportugal.com/22%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%281026%20a%201165%29/slides/22Lis_1036.html

http://www.cfportugal.com/22%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%281026%20a%201165%29/slides/22Lis_1037.html

http://www.cfportugal.com/22%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%281026%20a%201165%29/slides/22Lis_1038.html

http://www.cfportugal.com/23%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%281127%20a%201228%29/slides/23Lis_1129.html

http://www.cfportugal.com/23%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%281127%20a%201228%29/slides/23Lis_1130.html

http://www.cfportugal.com/24%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%281198%20a%201272%29/slides/24Lis1198.html

http://www.cfportugal.com/24%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%281198%20a%201272%29/slides/24Lis1199.html

http://www.cfportugal.com/25%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%281096%20a%201254%29/slides/1099.html

Nestes, tenho dúvidas sobre a genuinidade (falsas ou de favor) das obliterações:

http://www.cfportugal.com/22%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%281026%20a%201165%29/slides/22Lis_1033.html

http://www.cfportugal.com/22%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%281026%20a%201165%29/slides/22Lis_1035.html

http://www.cfportugal.com/22%C2%BA%20Leil%C3%A3o%20CFP/Erros%20e%20Falsos%20%281026%20a%201165%29/slides/22Lis_1040.html

Não sei se a peça apresenta ou não marca de trânsito/chegada. Caso contrário não sei como chegaram ao ano de circulação...

Diverte-te :-) e vai dando notícias.
Um abraço.