27 novembro 2009

Marcas Estrangeiras sobre Selos Postais Portugueses (4)



2009.11.21
Inteiro Postal, registado, remetido de Lisboa (Corte Inglês) para a Suíça.


Porte (3,07€) correspondente ao envio de uma carta/postal de formato normalizado do primeiro escalão (até 20g), registada (em mão), para a Europa (excepto Espanha). A franquia mista é composta por etiqueta NAVE (0,95€), dois selos (1,00€ + 0,80€) da emissão Natal 2009 e selo fixo do inteiro postal (0,32€) da emissão-base Transportes Públicos Urbanos - 3a emissão.


Lamentavelmente para nós filatelistas, é recorrente a recepção de correspondência sem qualquer carimbo a obliterar os selos postais. Incompreensível e inadmissível é esse tratamento em correspondência registada.
Não satisfeito com a situação, desloquei-me à estação de destino e "exigi" a anulação dos selos, argumentando que essa era uma das recomendações do organismo postal internacional (U.P.U.) - na verdade fiz-lo sem grande convicção, pois desconheço se essas instruções e procedimento estarão ou não ainda vigentes. (Exemplos A, B e C)
Não muito convencida mas com uma simpatia digna de registo, a funcionária não hesitou em dar duas carimbadelas. Serão carimbos de favor? Peça confeccionada? Creio que não... Qual a vossa opinião?




3 comentários:

Giorgio Micali disse...

Fernando, duas perguntas antes de dar uma opinião. Os correios Suiços costumam, hoje, carimbar a correspondência à chegada? No caso o façam, mesmo se ocasionalmente, usam estes carimbos "turisticos"?

Fernando Bernardo disse...

Ciao Giorgio.
Infelizmente, mesmo na correspondência registada, os correios helvéticos deixaram de aplicar qualquer marca. Os tempos são outros, os meios e a manipulação postal são bem diferentes: o carteiro faz a distribuição num perímetro de 2 a 3 Km, deslocando-se numa viatura moderna e confortável; recorre ao scanner no processamento da correspondência; registamos a recepção através de assinatura digital.
Sei que a estação dispõe de dois tipos de carimbos na obliteração dos selos: o datado de dia e este "turístico". Limitei-me a solicitar a anulação dos selos, sem outra indicação. Apenas posso confirmar que o carimbo estava no seu posto de serviço. Normalmente, para fins filatélicos, este tipo de carimbo turístico/filatélico encontra-se noutra área. Desconheço se existe outro... Este já apresenta algumas feridas e poderá, agora, ter uma utilização corrente.

Giorgio Micali disse...

Penso que tenha que ser o sector da distribuição a anular os selos não obliterados. Se este sector não está dotado de um carimbo (qualquer que seja) dificilmente se pode dizer que a obliteração não seja de favor.
Não sei se há uma regulamentação da UPU a este propósito.
Só para comparação: a correspondência que recebo na minha casa na Itália tem quase sempre a marca de chegada mas nunca anularam os selos não obliterados das cartas vindas do estrangeiro (sobretudo USA).