15 janeiro 2009

Imposto do Selo (1)


Vieux papiers du terroir...
 
Datado de 20 de Maio de 1886, um documento da Taylor's: conhecimento de embarque de Vinho do Porto.


 
O imposto de Selo incidia sobre estas transacções e "pago directamente" neste tipo de documento, no caso, 15 réis.

Breves notas sobre esta centenária Casa e precioso néctar: TAYLOR's

E, já que estamos com a mão na massa, para "queimar os neurónios" aos amigos e/ou visitantes deste blogue, deixo esta charada: Como se poderá repartir 21 tonéis por três pessoas se, 7 deles estão cheios, outros 7 estão vazios e os restantes 7 estão meio cheios/vazios, de modo a que no final da divisão cada pessoa fique com a mesma quantidade de vinho e de tonéis?


Solução: Ver próximos posts. Eheheh...
P.S.: Não é difícil. Existem até, no mínimo, duas soluções para o problema...



 

5 comentários:

mlc disse...

Fernando, aí vai uma das soluções:

Legenda: C (cheio), MC (meio-cheio), V (vazio)

3 indivíduos: A, B e C

A - 3 C + 1 MC + 3 V = 3,5 / 7
B - 2 C + 3 MC + 2 V = 3,5 / 7
c - 2 C + 3 MC + 2 V = 3,5 / 7

Manuel

Fernando Bernardo disse...

Parabéns, Manuel!
Fica a faltar, então, uma 2ª versão...

mlc disse...

Essa deixo para outros visitantes... Eheheh

Fernando Bernardo disse...

Eis então a segunda solução:

1. O Tono, fica com 3 cheios + 1 meio-cheio/vazio + 3 vazios;

2. O Manel, idem;

3. O Jorge, fica com 1 cheio + 5 meio-cheios/vazios + 1 vazio.

Ou seja, ficam com igual quantidade de "tintol" e vasilhame.

N.B.: Qualquer semelhança com "confrades" - sua associação física aos tonéis e/ou dependência ao "mata-bicho" -, é mera coincidência. Eheheh..

Jorge Cirne disse...

Eu acho que o problema está mal formulado e tenho uma não-solução para o mesmo!
Eu fico com os 7 cheios, o Tono com os 7 meios-cheios e o Manuel com os 7 vazios que isto agora com o carro novo há que ter cuidado.
Sobra o Fernando para carregar com os tonéis e fazer blogatório com a descrição do evento...